• Prêmio de boias práticas 2017
  • Novas sedes e visturas reforçam segurança no Sudoeste
  • Edital Agosto da Igualdade 2017
  • Banner Recadastramento do Servidor

Notícias

03/11/2016 05:40

Bando de Teatro Olodum, Ilê Aiyê, Cortejo Afro e Lazzo abrem Novembro Negro no TCA

Será lançada oficialmente na próxima terça-feira (8), em Salvador, a programação do Novembro Negro 2016, mês emblemático da luta racial no país, com atividades realizadas por um conjunto de órgãos estaduais e organizações da sociedade civil. A cerimônia começa às 19h, no Teatro Castro Alves (TCA), com a presença da titular da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), Fabya Reis, demais dirigentes governamentais e representações do movimento negro da Bahia. O evento terá transmissão ao vivo pela TVE e pelo Portal do Irdeb (www.irdeb.ba.gov.br).

A cerimônia conta com apresentação do Bando de Teatro Olodum, em alusão à Revolta dos Búzios, cujos líderes negros foram enforcados e esquartejados nesta data, em 1799, na Praça da Piedade. Após históricas reivindicações do movimento negro, hoje seus nomes já são reconhecidos como protagonistas na luta contra o sistema opressor da época. Entre as principais lideranças estão Manuel Faustino, Lucas Dantas, João de Deus, Luís Gonzaga e Antônio José.

A abertura do Novembro Negro inclui, ainda, show de blocos afros e personalidades referências da cultura negra e do movimento antirracista no país. Haverá participação do Ilê Aiyê, Cortejo Afro, além do cantor Lazzo Matumbi. Afoxé Filhos de Gandhy, Okámbí, Muzenza, Malê Debalê, Os Negões e Araketu também fazem parte do conjunto de atrações.

Durante todo o mês a Sepromi e demais órgãos estatuais realizam e apoiam diversas atividades na capital e no interior, tendo como ponto alto o 20 de novembro, instituído como Dia Nacional da Consciência Negra, em memória ao líder quilombola Zumbi dos Palmares.

Agenda - A programação completa, que integra a agenda da Década Internacional Afrodescendente na Bahia, está disponível no site da Sepromi (www.sepromi.ba.gov.br). São seminários, eventos culturais, rodas de diálogo, além de entregas de certificados para povos e comunidades tradicionais nos territórios de identidade baianos, em cumprimento ao Estatuto da Igualdade Racial e de Combate à Intolerância Religiosa.

O Governo do Estado também estará integrado às marchas e caminhadas realizadas tradicionalmente. Outro destaque é formalização de cooperações com universidades e outros parceiros, visando o desenvolvimento de projetos destinados às comunidades negras. A Sepromi pretende, ainda, visibilizar os heróis e heroínas da luta racial esquecidos ao longo da história.

Outra iniciativa é o edital Novembro Negro, cujo tema é “As Lutas de Dandara e Zumbi pela Promoção da Igualdade Racial”, com destinação de R$ 300 mil, para projetos e atividades no mês da consciência negra. A assinatura dos termos de colaboração com as entidades proponentes ocorrerá no dia 25, em Salvador.

Visibilidade a garantia de direitos - Com a realização do Novembro Negro, o Governo da Bahia pretende consolidar a missão institucional de realizar políticas para negros e negras, além das comunidades indígenas, povos ciganos, territórios quilombolas, comunidades de geraizeiros, comunidades de fundo e fecho de pastos, comunidades de pescadores e de marisqueiras, povos de terreiros e extrativistas.

A instituição do 20 de novembro - O dia 20 de novembro foi instituído como o “Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra”, a ser comemorado, anualmente, em virtude de tratar-se da data do falecimento do líder negro Zumbi dos Palmares. A medida tem como base legal a Lei Federal 12.519, sancionada em novembro de 2011, pela então presidenta da República, Dilma Rousseff, em atendimento à demanda histórica do movimento negro no Brasil, que elegeu Zumbi como um símbolo da luta e resistência dos negros escravizados no país. Zumbi liderou o Quilombo dos Palmares (União dos Palmares, Alagoas), comunidade livre formada por escravos fugitivos das fazendas no Brasil Colonial. O quilombo também foi palco da luta pela liberdade de culto religioso e prática da cultura africana.


Serviço

O quê: Abertura do Novembro Negro 2016

Quando: 08.11 (terça-feira), às 19h

Local:
Teatro Castro Alves (TCA) – Campo Grande/Salvador

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.