• Novas sedes e visturas reforçam segurança no Sudoeste
  • Novembro Negro
  • Novembro Negro
  • Benner Novembro Negro

Notícias

14/07/2017 12:00

Sepromi prestigia lançamento do livro “O Carnaval de Salvador e suas Escolas de Samba”

A Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi) participou nesta quinta-feira (14), em Salvador, do lançamento do livro “O Carnaval de Salvador e suas Escolas de Samba”, de autoria do compositor Geraldo Lima. O evento, que teve a participação de diversos artistas e personalidades negras da Bahia, contou com a presença da titular da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), Fabya Reis.

“Prestigiamos um verdadeiro trabalho de resgate da memória e valorização das culturas populares e identitárias, homenageando sambistas da Bahia com muita criatividade e pertencimento. O samba, uma das grandes marcas do protagonismo e contribuição do povo negro do Brasil, é um tema tratado com muito brilhantismo nesta obra”, ressaltou a secretária Fabya Reis.

O novo título da Editora Corrupio (a mais antiga casa editorial da Bahia em atividade) tem 168 páginas e contou com recursos do Edital Setorial de Apoio a Publicação de Livros por Editoras Baianas da Fundação Pedro Calmon, vinculada à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (Secult-BA).

Mais sobre o autor - Nascido no bairro do Garcia, o autor vivenciou os bastidores e a organização da festa carnavalesca que consagrou escolas como Ritmistas do Samba, Filhos da Liberdade, Filhos do Tororó, Juventude do Garcia, Diplomatas de Amaralina e Filhos do Politeama, entre outras, no período de 1963 a 1978, quando a Prefeitura de Salvador promoveu concursos e as agremiações desfilavam do Campo Grande à Praça da Sé.

Retratando a história - Ilustrado com fotografias da época, o livro mostra o surgimento, os anos de glória e a decadência das escolas de samba. O autor traça perfis das principais agremiações, registra os enredos que emocionaram os foliões, como Os Negros na Bahia, Primeiro Aniversário da abolição, Samba - Canto livre de um Povo, Homenagem aos 50 Anos de Ialorixá de Mãe Menininha do Gantois, Epopeias de uma Raça, e também avalia o legado das escolas no carnaval atual. Desfilam nas páginas da publicação cenas memoráveis, com passistas, ritmistas, diretores, compositores e outros personagens, anônimos e famosos, que tornaram a festa possível, como Paulinho Camafeu, Ederaldo Gentil, Nelson Rufino, Guiga de Ogum e Nelson Maleiro.

*Com informações da Ascom da Fundação Pedro Calmon (FPC/Secult-BA).
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.