• Novas sedes e visturas reforçam segurança no Sudoeste
  • Novembro Negro
  • Novembro Negro
  • Benner Novembro Negro

Notícias

22/08/2017 08:00

CDCN comemora 30 anos e reúne jovens do Subúrbio Ferroviário

O Centro Cultural de Plataforma, em Salvador, ficou lotado na tarde desta segunda-feira (21), com a realização da roda de conversa “Diálogos com a juventude”, evento que integrou a programação dos 30 anos do Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra (CDCN). Estudantes da rede estadual de ensino da região, conselheiro(a)s, militantes do movimento negro, artistas e autoridades participaram da atividade, marcada pelo debate sobre conquistas, desafios e políticas afirmativas para a juventude negra baiana.

“Nosso objetivo é conversar com a juventude, segmento que também é impactada pelo racismo estrutural histórico. A criação de conselhos como o CDCN é o reconhecimento, pelo Estado brasileiro, da presença desse racismo institucional, também como forma de atuar nesse enfrentamento das desigualdades. Aqui dialogamos sobre assuntos de interesse da juventude, na perspectiva de proposição e reconstrução das políticas públicas”, afirmou a presidenta do colegiado e secretária da Sepromi, Fabya Reis, na abertura do evento.

Fabya Reis ressaltou avanços significativos para a promoção da igualdade racial ocorridos a partir das contribuições do CDCN e do movimento negro. Como exemplo ela citou a criação de marcos legais de defesa da população negra, a instituição da Sepromi e do Centro de Referência de Combate ao Racismo e à Intolerância Religiosa Nelson Mandela, dentre outras medidas que colocam a Bahia como pioneira na gestão de políticas afirmativas no Brasil.

“Acredito que o CDCN acertou em realizar uma atividade com a juventude, refletindo sobre as políticas públicas. É uma reaproximação do conselho com as comunidades, dialogando com uma representatividade expressiva de jovens do Subúrbio Ferroviário de Salvador. Descentralizamos nossa atuação, trazendo nosso povo para um espaço que é a expressão da cultura da juventude negra”, afirmou a ativista Lindinalva de Paula, conselheira do CDCN, representando a sociedade civil organizada.

Os debates contaram com a participação do MC Xarope, do segmento de hip hop; da militante Lorena Pacheco, falando sobre autoestima da juventude negra; Lucas Sotero, refletindo a valorização da capoeira e do candomblé; Luma Nascimento, sobre empreendedorismo jovem; além de Sara Prado, da coordenação estadual de Juventude, vinculada à Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS).

O evento teve a participação, ainda, dos atores Jorge Washington e Fábio Santana, do Bando de Teatro Olodum; dirigentes escolares e do deputado estadual Bira Corôa.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.