• Mutirão de Cirurgias
  • RH Bahia

Notícias

12/03/2018 14:30

Com presença da Sepromi, em Salvador, major Denice Santiago recebe Comenda 2 de Julho

No mês dedicado à luta das mulheres, a Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) entregou nesta segunda-feira (12), a Comenda 2 de Julho à major Denice Santiago, comandante da Ronda Maria da Penha (RMP). A honraria, fruto de proposição do deputado Marcelino Galo, foi concedida como reconhecimento às contribuições dadas no enfrentamento à violência contra as mulheres, defesa da igualdade de gênero e desenvolvimento do estado. A Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi) participou do ato.

“Gratidão é o sentimento que me define, pelo reconhecimento deste trabalho por parte da Assembleia Legislativa do meu estado. Gratidão por ter a condição de ajudar as mulheres vítimas de violência, que permitem que entremos em suas casas, oferecendo o que temos de melhor, no esforço pela garantia da paz e da segurança. É a possibilidade de inspirar, inclusive, meninas como eu, que vieram do Subúrbio de Salvador, estudaram em escola pública e sabem que podem alcançar o melhor na vida”, destacou a major Denice.

xcvdg

“Hoje a Ronda Maria da Penha é uma prioridade no Comando Geral da PM, motivo de grande orgulho para todas nós. Seu desenvolvimento hoje é uma meta estratégica e trabalharemos para ampliar esse serviço, com uma interiorização ainda maior, força e robustez, levando a proteção que as mulheres tanto precisam”, completou Denice, no evento que lotou as dependências da ALBA, ao lado de familiares e colegas da RMP.

A titular da Sepromi afirmou que a concessão da honraria é uma conquista para o conjunto das mulheres negras baianas. “Esta homenagem, a partir da história de luta e superação da major Denice Santiago, inspira a todas nós. Enche de orgulho pelo trabalho dedicado de acolher e preservar a vida das mulheres. Esta é, sem dúvidas, uma mulher referência para a nossa caminhada”, pontuou Fabya Reis.

Mais sobre Denice – A major Denice Santiago é graduada em psicologia, mestra em Desenvolvimento e Gestão Social pela Ufba. Em 1990, rompendo paradigmas, Denice ingressou na primeira turma feminina de praças da Polícia Militar (PM). Construiu, na instituição, um expressivo trabalho no âmbito das políticas de gênero, através da fundação do Centro Maria Felipa. Hoje, como major, é uma das três oficiais negras a ocupar este posto de comando na PM baiana, onde apenas 13% do efetivo é formado por mulheres.

jhh

Através da Ronda Maria da Penha, a major Denice é responsável pela proteção de 1.889 mulheres ameaçadas por homens na Bahia. Pelos serviços prestados na defesa dos direitos humanos e da equidade de gênero, recebeu da Câmara de Vereadores, em 2017, a Comenda Maria Quitéria. Também no ano passado foi agraciada com o Prêmio Bertha Lutz, concedida pelo Senado Federal com o objetivo de destacar personalidades e iniciativas de fortalecimento e defesa dos direitos da mulher no país.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.