Notícias

07/11/2018 07:00

Semana da Igualdade Racial é iniciada com homenagem a Mestre Moa

A abertura da Semana da Igualdade Racial foi realizada na tarde desta terça-feira (6), no Hotel Sol Victória Marina, em Salvador. O som dos berimbaus ganhou espaço no início das atividades, que homenageia o mestre de capoeira Moa do Katendê, morto após uma discussão política no início do mês de outubro. Com programação até a próxima sexta (9), o evento propõe o debate, avaliação e proposição de políticas afirmativas na Bahia.

Serão quatro dias de atividades, com o tema central 'Integração e Consolidação do Sistema Estadual de Promoção da Igualdade Racial no âmbito da Década Internacional Afrodescendente'. Promovido pela Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), o evento pretende auxiliar a gestão governamental no que se refere às políticas para a população negra.

“Essa semana representa a possibilidade de aprimoramento das políticas públicas, com a valorização das experiências das comunidades tradicionais com combate ao racismo e promoção da igualdade”, destacou a secretária da Sepromi, Fabya Reis, sobre a articulação viabilizada pelas atividades.

A secretária acrescentou que a homenagem a Mestre Moa do Katendê é uma forma de plantar a valorização de processos que são caros ao povo brasileiro. “Mestre Moa era um grande artista, compositor, ativista da luta antirracista, defensor da democracia, um homem que valorizava a diversidade. Portanto, a gente quer, sim, reverberar a memória de Mestre Moa e os ideais que ele representa”, disse.

O filho de Mestre Moa, Raniere Santos, participou da homenagem ao pai juntamente com outros familiares e capoeiristas, como o músico Tonho Matéria. “A nossa família se sente muito honrada com momentos como este. Meu pai nos deixou muitas boas lembranças e somos fortalecidos pela certeza de que devemos continuar trabalhando por este legado de luta que ele nos deixou”, afirmou Raniere.

Programação intensa - A Semana da Igualdade Racial integra as celebrações alusivas ao Novembro Negro, o mês da consciência negra, e reúne militantes do movimento negro, gestores públicos e lideranças dos segmentos tradicionais de diversos territórios. Até sexta, as atividades são abertas ao público, de forma gratuita e com fornecimento de certificado.

A programação agrega instâncias como o Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra (CDCN); representantes do Fórum de Gestores Municipais de Promoção da Igualdade Racial; membros da Comissão para a Sustentabilidade dos Povos e Comunidades Tradicionais (CESPCT); Grupo Intersetorial para Quilombos (GIQ); integrantes da Rede de Combate ao Racismo e à Intolerância Religiosa.

A íntegra da programação está disponível AQUI.


*Com informações da Secom/Repórter: Jairo Gonçalves.
 
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.