• Edital Prof Jorge Conceição
  • Banner Novembro negro 2021
  • Banner Novembro negro 2021 campanha

Notícias

06/11/2021 19:00

Plenária reúne povos e comunidades tradicionais e movimentos sociais em Prado

A Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi) participou neste sábado (6), no Assentamento Agroecológico Jacy Rocha, município de Prado, de uma plenária com organizações dos povos e comunidades tradicionais, de luta pela terra, da defesa da diversidade religiosa e outras representações de movimentos sociais. Durante o encontro foram debatidas estratégicas e políticas de combate ao racismo, à intolerância religiosa e de fomento ao desenvolvimento sustentável dos segmentos.

A titular da pasta, Fabya Reis, ressaltou que a atividade fortalece o diálogo entre instâncias representativas da sociedade civil e governamentais. “Esta é uma rica plenária, com grande representatividade, um momento para dialogar sobre os desafios e reafirmar compromissos pela inclusão, combate ao racismo e fortalecimento das políticas afirmativas na Bahia”, destacou a gestora, lembrando de outros espaços e colegiados consultivos, a exemplo dos conselhos de Desenvolvimento da Comunidade Negra (CDCN) e de Sustentabilidade dos Povos e Comunidades Tradicionais (CESPCT).

Florisvaldo Rodrigues, da Coordenação Nacional de Associações e Comunidades Quilombolas (Conaq) destaca que a atividade aconteceu num mês emblemático da luta do povo negro. “Este é o mês de Zumbi dos Palmares, que há mais de 326 anos perdeu sua vida buscando criar uma sociedade democrática e com direitos iguais para todas e todos”, pontuou Rodrigues, saudando a diversidade de representações presentes que, segundo ele, possuem lutas conectadas na busca por reparação.

Pela representação indígena o cacique Renato, da etnia Pataxó da região de Porto Seguro, pontuou que os povos originários continuam em diálogos com dos diversos setores e reivindicando a garantia de direitos. “Estar aqui é muito importante porque temos que seguir lutando e discutindo. Somos os primeiros habitantes deste país e nossa luta é contínua. Precisamos estar unidos de maneira cada vez mais intensa no nosso país”, afirmou a liderança.

Também fizeram parte da mesa de debates um conjunto de representações dos segmentos da capoeira, dos povos ciganos, de religiões de matriz africana, do catolicismo, dentre outros convidados.

Além da plenária, outras atividades aconteceram no local, organizadas pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), a exemplo de feira agroecológica e de artesanato, atos de reflorestamento, programação cultural, mobilizações da juventude e mesas de debates. O ponto alto foi a exibição, à noite, da obra “Marighella, O filme”, com presença do diretor Wagner Moura, parte do elenco e produção que, na sequência, participaram de um bate-papo com o público.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.