• BANNER FAPESB
  • Banner Novembro negro 2021 campanha
  • Banner ouro negro 2022

Notícias

27/12/2021 11:20

Comissão de Seleção de Projetos Edital Bahia Década Afrodescendente 2021

Seguem abertas até o dia 30 de dezembro as inscrições para oficinas de sublimação promovidas pelo bloco de afoxé Filhos de Korin Efan. O objetivo das atividades é promover qualificação profissional em técnica de sublimação (estamparia) para gerar renda para os participantes, em especial agentes culturais, mulheres negras e jovens negros, público ainda afetado fortemente pela pandemia da Covid-19.

A ação do bloco faz parte do projeto ‘Afro Potência: Cultura e Empreendedorismo Ancestral’, apoiado pela Secretaria da Promoção da Igualdade Racial da Bahia (SEPROMI) por meio dos recursos do Edital da Década Afrodescendente. Presidente do Filhos do Korin Efan, Elisângela Silva explica que a iniciativa visa incentivar novas formas de geração de trabalho para o público alvo.

“Se antes empreender era uma escolha, com a crise ocasionada pela pandemia do Coronavírus, tomou-se a única opção para muitos profissionais da cultura. O mercado de trabalho sofreu grandes mudanças no cenário político. Com isso, surgiu a necessidade de buscar novas formas de geração de trabalho e renda,
além de abordar os desafios e as possibilidades que o empreendedorismo afro oferece na atual conjuntura”, explicou a dirigente do afoxé, que tem sede no Pelourinho.

Para se inscrever, é preciso ir à sede do bloco, na Rua do Passo, após o CDCN, no Centro Histórico. Ao todo, serão beneficiados 30 inscritos. No curso, serão abordadas técnicas de sublimação/estamparia em objetos diversos, como camisetas, canecas, azulejos e outros. Também serão produzidas, dentro do mesmo projeto, máscaras de proteção contra a Covid-19, acessório que ainda precisaremos usar por muito tempo por causa da pandemia, mesmo após a vacinação. Essas máscaras serão confeccionadas em parceria com o Ilê Axé Ogum Omin Shogbô e, de acordo com a pesidente do Korin Efan, serão doadas para associações culturais e carnavalescas que atendem público em situação de vulnerabilidade.

Para encerrar, a ação do bloco afro patrocinada pela SEPROMI também prevê a realização de minicurso para formação em temas como conscientização nas questões étnico-racial, combate ao racismo, afro-empreendedorismo, economia solidária e sustentável e políticas para povos e comunidades tradicionais.

“Essa é uma ação completa, que visa gerar renda, mas também distribuir conhecimento teórico para que as pessoas qualifiquem a prática, para que elas saibam a realidade social em que estamos inseridas”, afirma Elisangela Silva.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.